É possível usar seguro de vida resgatável como reserva financeira?

É possível usar seguro de vida resgatável como reserva financeira?

Seguro de vida vai além da cobertura por morte: tudo depende do perfil do segurado

Seguro de Vida

A mentalidade brasileira acerca de seguros ainda está em evolução. Durante muito tempo, difundiu-se a ideia de que o recurso aplicado só teria utilidade para a família em caso de morte do segurado. No entanto, existem seguros com cobertura em vida e, até mesmo, o seguro resgatável.

O que é o seguro de vida resgatável?

O seguro de vida resgatável consiste na fusão de dois produtos em um: um seguro de vida e uma reserva financeira. Nesse sentido, cada seguradora apresenta o seguro com características próprias, que devem ser pesquisadas pelo interessado antes de efetuar a contratação.

Qual a diferença entre o seguro resgatável e o seguro normal?

Primeiramente, vale reforçar que o seguro resgatável tem todas as características do seguro de vida tradicional. Nessa modalidade, os objetivos do seguro de vida são mantidos, garantindo que a segurança e o amparo necessários à família fiquem resguardados.A diferença consiste no fato de o seguro de vida resgatável fazer uma aplicação do prêmio (valor mensal do seguro) que você paga.

Dessa forma, é como se fosse um título de capitalização com investimentos mensais. Essa sua natureza de aplicação permite que parte do valor seja resgatado posteriormente, após um determinado período de carência, possibilitando o uso do seguro em vida pelo contratante.

Como utilizar o seguro resgatável como reserva financeira?

O seguro de vida resgatável é adquirido como qualquer outro. Consolidada a apólice, parte do valor pago mensalmente é aplicado em uma reserva financeira.Há, entretanto, algumas variações na contratação. Pode-se obter um plano com prazo de validade determinado para o recebimento do capital ou aderir a uma proteção vitalícia, na qual o cliente define quando resgatará o valor da reserva.No segundo caso, pode acontecer de o cliente nunca solicitar o resgate.

Com isso, o plano continuará valendo como um seguro de vida tradicional e o contratante poderá seguir com a tranquilidade do seu amparo e proteção. Por outro lado, ele pode ser mantido somente até que surja uma situação de contingência ou quando não se precisar mais da cobertura.Nas duas formas de aquisição o seguro é extinto assim que o saque dos recursos for efetivado.

O valor acumulado pode ser resgatado de maneira parcial ou total, em razão das condições contratadas e previstas na apólice. É importante ressaltar que o resgate se dá por iniciativa do segurado e não pelos beneficiários indicados.Então, o seguro de vida resgatável é uma mescla entre um instrumento de proteção da família e de um investimento para o segurado. No mais, ele pode ser obtido de acordo com suas perspectivas de resgate da reserva financeira acumulada.

FONTE: InfoMoney