Seguro residencial em alta no país

Seguro residencial em alta no país

Apólice engloba mais do que acidentes e sinistros, a modalidade de seguro oferece uma série de serviços extras para a sua casa.

Falar de seguro residencial não é tão comum quanto conversar sobre seguros de carro. De acordo com a FenSeg (Federação Nacional de Seguros Gerais), menos de 15% dos lares brasileiros possuem a apólice. No entanto, essa é uma realidade que vem mudando significativamente. Em 2018, cerca de 3 bilhões foram pagos no título, alta de 12,8% em comparação ao ano anterior.

“As pessoas estão mais consciente dos serviços e benefícios do produto. Entretanto, também destaco o aumento da incidência de eventos climáticos”, afirmou Jarbas Medeiros, presidente da Comissão de Riscos Patrimoniais Massificados da FenSeg.Eis a primavera, estação marcada por períodos de fortes chuvas e incidência de raios. São tantos que o país é líder mundial na ocorrência deste fenômeno. E, não à toa, é justamente nessa época do ano que ouvimos de várias pessoas histórias de equipamentos queimados por causa de uma variação de energia na rede elétrica; de casas incendiadas e vidraças quebradas, entre outros desastres.

A empresaria Thais Corrêa, 28 anos, de Jacareí, que o diga.“Houve uma chuva bem forte na cidade e, como minha televisão estava na tomada, acabou queimando”, contou a jovem. “É um estresse ter que ficar esperando o conserto do aparelho ou mesmo comprar um novo. A sorte é que tenho seguro e isso tornou minha ‘dor de cabeça’ menor”, concluiu.Segundo Thiago Lima, corretor da CL Confidence Corretora de Seguros, situações como a da empresaria não são incomuns e a melhor forma de prevenir é de fato seguindo seu exemplo: via apólice de seguro residencial. “O título resguarda o patrimônio da pessoa para os casos de sinistro, como incêndio, roubo e explosão.

Além disso, o morador pode incluir tudo o que estiver dentro dela”, informou o especialista.Mas o que exatamente o seguro cobre? Além de incêndio, raio, explosão, danos elétricos, vendaval, impacto de veículos e enchente, ele pode cobrir situações de roubos e invasões domiciliares. Quem determinará a cobertura é o próprio contratante.Bônus.Engana-se quem acha que o seguro é um item de luxo, extremamente caro. Na balança, o custo benefício é alto. Afinal, para atrair ainda mais o consumidor, as seguradoras também fornecem assistência emergencial para diversos serviços como chaveiro, encanador, eletricista, trabalhos de desentupimento e conserto de eletrodomésticos, dentre vários outros.

“O custo vai depender da região onde o imóvel está localizado, o tipo e os serviços que serão contratados. Nestes casos, para que o cliente não tenha surpresas, é importante que seja consultado um corretor. Apenas um profissional poderá sanar todas as dúvidas e explicar qual o melhor seguro para sua necessidade”, orientou Lima.

Fonte: O Vale