Uma forte tendência para arquitetura pós pandemia: Design Ativo.

Uma forte tendência para arquitetura pós pandemia: Design Ativo.

Já está cansado de ouvir falar sobre o “novo normal”? Se sim, sinto em dizer que você continuará lendo e ouvindo sobre os novos rumos de produtos e serviços, influenciados pelos novos comportamentos e necessidades. Com a arquitetura não é diferente. A pandemia do novo coronavírus impactou a arquitetura, já que as pessoas adquiriram novos hábitos e uma maneira diferente de se relacionar com os seus lares. São muitas as tendências despontando e hoje eu falarei sobre uma delas: o Design Ativo. O conceito, do escritório de arquitetura Athié Wohnrath, cria ambientes que promovem atividade física, ajudando a diminuir o sedentarismo.

Além do Brasil estar entre os países mais sedentários do mundo, à frente (pasmem!) dos Estados Unidos, a pandemia tornou a situação ainda mais crítica. De fato, foram muitas as pessoas preocupadas com o sedentarismo na época em que a circulação era mais restrita. Academias fechadas, medo de se exercitar na rua, falta de espaços para atividade física em casa. Então, mais do que nunca, um conceito que permite à arquitetura interferir positivamente no comportamento e na qualidade de vida das pessoas, da escala urbana até os ambientes dentro de uma edificação, deve ser forte tendência.  

Mas, quais as estratégias do design ativo? Veja algumas:

  • Projetos de arquitetura que promovem e facilitam o uso de bicicletas e patinetes, como aqueles que têm bicicletários, vestiários, lockers e ciclofaixas para o tráfego seguro. 
  • Posicionamento estratégico de escadas, com design mais convidativo para que a pessoa evite o elevador.
  • Layout de ambientes que promovam a circulação das pessoas, para que elas fiquem mais ativas no dia a dia.
  • No escritório, mesas com regulagem de altura para que as pessoas possam trabalhar parte do dia em pé, reduzindo o tempo sentadas. 

Partindo destas ideias, nós também podemos repensar nossos ambientes para promover nossa saúde física e emocional. Que tal começar guardando o controle da TV ou deixando a cozinha mais agradável para cozinhar uma refeição saudável em vez de pedir comida?