Tendência “fly to quality”: empreendimentos imobiliários focados no bem-estar.

Tendência “fly to quality”: empreendimentos imobiliários focados no bem-estar.

O termo “Fly to Quality”, em tradução livre, significa voo para qualidade. Originalmente, o movimento fly to quality – também chamado de flight to safety – acontece em períodos de crise e sinaliza a fuga de investidores da alocação em aplicações mais arriscadas para outras mais seguras. Essa movimentação é derivada da volatilidade do mercado e das incertezas econômicas e o propósito da estratégia é reduzir as potenciais perdas dos mercados instáveis e voláteis. 

No mercado imobiliário, inicialmente, o “fly to quality” se deu principalmente pela realocação espacial  de empresas, com objetivo de reduzir custos e adquirir mais qualidade por conta de um espaço mais amplo e com mais possibilidade de ocupação, criação e organização. Hoje, como tendência, o termo traduz o processo de busca por espaços com mais qualidade, valorizando o bem-estar e com padrões de exigência superiores.

Entre seus maiores benefícios podemos citar:

  • otimização de espaço;
  • infraestrutura de alto padrão;
  • estrutura sustentável;
  • humanização dos ambientes;
  • conforto;
  • mais qualidade de vida com ênfase na saúde mental;
  • união da produtividade à satisfação e bem-estar dos colaboradores.
  • Agrega mais valor para o empreendimento.

Curitiba, como “celeiro de produtos inovadores”, especialmente no segmento de imóveis de alto padrão, não ficou de fora da tendência. Segundo dados do estudo da Associação dos Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário do Paraná (Ademi-PR), em parceria com a Brain Inteligência Estratégica, a capital paranaense tem sido destaque em termos de qualidade arquitetônica e vivencia o movimento “Fly To Quality”. Entre as regiões, os bairros do Bigorrilho e Batel encabeçam os principais focos de desejo das construtoras e incorporadoras.